English French German Italian Portuguese Spanish

ATIVIDADES PARALISADAS - ACOLHIMENTO INSTITUCIONAL

A Casa Acolhedora "Dona Jandira Jovita da Rosa", foi fundada em 10 de Março de 1986. No início era chamada de Orfanato, com o advento do ECA passou a se chamar de Casa Lar e hoje é chamado de Acolhimento Institucional,  é mais um projeto social mantido pela CVM - Creche Vinde a Mim as Criancinhas. Atende crianças e adolescentes de 3 a 12 anos de idade, em situação de risco, vítimas de maus tratos e abandono, em regime de abrigo (24 horas por dia). São encaminhadas pelo Conselho Tutelar ou pela Vara da Infância e Juventude.

A Casa Acolhedora é uma medida de proteção, regulamentada pelo ECA Estatuto da Criança e do Adolescente, está registrada no CMDCA Conselho Municipal da Criança e do Adolescente do Município de São José/SC.

Tem capacidade para 30 crianças e adolescentes. Aqui as crianças recebem amor, carinho, atenção, suporte psicológico, educação, alimentação, entre outros.

A Casa Acolhedora surgiu para atender uma demanda emergente no estado de Santa Catarina, que eram e são até hoje as crianças e os adolescentes que se encontram em situação de risco social. Atualmente a Casa Acolhedora atende somente crianças encaminhadas pelo Juizado da Infância e Juventude e Conselho Tutelar do Município de São José /SC.

O Objetivo da Casa Acolhedora “Jandira Jovita da Rosa” é proteger, reintegrar e garantir os direitos da criança regulamentados pelo ECA – Estatuto da Criança e do Adolescente, e educar a partir de uma perspectiva sócio-interacionista, visando fortalecer as crianças para que consigam enfrentar as adversidades da vida em família e em sociedade, proporcionando a essas crianças a oportunidade de vivência num ambiente mais humano, acolhedor com muito amor e carinho.

 A casa atua no sentido de amparar crianças desassistidas, mobilizando para o fortalecimento dos vínculos de integração e convivência familiar tendo em vista os princípios de que "a vida em família é a mais alta expressão de civilização e que nenhuma criança deverá ser retirada do lar apenas por motivo de pobreza”. Diante desta perspectiva busca realizar um trabalho em rede, visando a prevenção, proteção e atendimento aos egressos em suas diversas áreas. Possibilitando a mediação entre comunidade e as políticas públicas com vista á responsabilidade social.